PiggyBack

O mercado de preparação de motores vem se tornando, ano após ano, extremamente competitivo e com o crescente desenvolvimento da eletrônica embarcada nos veículos modernos, o trabalho do preparador é cada vez mais desafiador. A evolução tecnológica tem viabilizado sistemas de controle e diagnóstico cada vez mais sofisticados e qualquer tentativa de interferência externa no sistema original acaba acarretando erros de diagnóstico e mal funcionamento.

A simples adição de injetores suplementares em motores que recebem um turbo compressor, muitas vezes é uma tremenda dor de cabeça para o preparador. É luz de diagnóstico que ascende aqui, muitas vezes não existe sinal de rotação disponível de forma simples, pendura-se um clamper ali, um conversor de rpm acolá… Se pensarmos na aplicação de um sistema de injeção e ignição tipo standalone, então a coisa pode se tornar um verdadeiro pesadelo.e subsistemas como computador de bordo, ABS, borboleta eletrônica, controle de tração, etc.

Numa aplicação deste tipo, ao se desconectar os comandos de injetores da central original para que a central standalone possa comandá-los, em muitos casos a central original “reclama” e gera código de diagnóstico. Existem os emuladores de bico para contornar esses erros mas, nem sempre funcionam bem e, lá vai mais circuito externo, e mais dinheiro!! Com as bobinas de ignição, é a mesma coisa.

Depois veem os mapas de injeção e ignição, mexe aqui, corrige ali, acerta na baixa, estraga na alta, testa, retrabalha, tempo, tempo, tempo… (Dinheiro!!).

Raramente o resultado é 100% satisfatório em todas as condições.

Existem relatos de aplicações em que, para operar um sistema standalone em motor com borboleta eletrônica sem causar código de erro, um segundo corpo de borboleta precisou ser acoplado à central original, só para evitar o diagnóstico – INSANO!!

Será que não dá para ser mais simples, mais prático, mais confiável, a um custo razoável??

Há cerca de um ano, esta questão tomou relevância dentro da HIS e a empresa começou a observar mais atentamente o que ocorre fora do Brasil no mercado de preparações.

Lá, é cada vez mais forte o uso de equipamentos que trabalham em conjunto com a central original do veículo, tentando preservar ao máximo suas características originais ou seja, mesmo num carro preparado, conseguir a performance desejada, 100% satisfatória em todas as condições de operação, inclusive com consumo de combustível compatível com a aplicação e não os exageros que se veem por aí com frequência, e ainda assim fazer com que todos os seus subsistemas (ABS, controle de tração, computador de bordo, painel de instrumentos, etc) continuem operando normalmente, e que nenhum código de erro seja gerado pelo sistema original. Esse tipo de equipamento é conhecido como “PiggyBack” – algo que “anda” acoplado, em conjunto, ou nas costas de alguma coisa. Então é isso, o PiggyBack trabalha sempre em conjunto com a central original do carro, preservando todas as suas funcionalidades!

Depois de um estudo minucioso dos equipamentos disponíveis atualmente bem como suas aplicações, a HIS reuniu em um produto único, o que existe de melhor nesta nova tecnologia a ainda adicionou soluções inovadoras tendo como premissas básicas, a manutenção de 100% de funcionalidade de toda a eletrônica embarcada no veículo, facilidade de instalação, programação e baixo custo. Assim, nasceu o HIS PiggyBack Computer, o primeiro PiggyBack totalmente desenvolvido e produzido no Brasil e que contou com o apoio e incentivo inestimáveis da Herrera Motorsports.

O HIS PiggyBack Computer pode ser instalado em veículos turbos e aspirados com qualquer configuração de preparação de forma muito simples, fácil e rápida. Além das funções encontradas em outros piggybacks, como ajuste de avanço de ignição, injeção de combustível em tempo real e clampers de sinais MAP e MAF, o módulo possui ainda uma série de outros recursos como, driver Peak & Hold digital para comando de injetores suplementares, sistema de partida a frio automático, booster de pressão automático em função de rotação, velocidade do veículo ou marcha, Smart Clampers, Datalogger com até 16 canais, controle para até 2 sondas lambda, narrow e wide-band…

Além disso, já existe disponível junto com o produto, um banco de dados com configurações pré-programadas para veículos das linhas VW, Ford, GM, Fiat, BMW, Porsche e Peugeot e sempre que novas configurações forem disponibilizadas, o upgrade do módulo pode ser feito até mesmo no próprio local de instalação, via computador, sem a necessidade de envio para a fábrica.

Com isso, seja numa preparação especial ou em uma otimização de acerto em um veículo original, assumindo que não existam problemas mecânicos, na maioria dos casos o trabalho de instalação e acerto do motor pode ser completado em um período de 3 a 4 horas. Depois, é dar a partida e cair no mundo!!